A Agência do IBGE em Guarulhos (SP) recebeu 25 representantes de servidores que atuam em todas as áreas o Instituto. A escolha por Guarulhos, município que tem a segunda maior população do estado de São Paulo, ocorreu em função da divulgação inédita do Plano de Trabalho do IBGE para 2024, realizada na última segunda-feira, 22. Do presidente do Instituto ao Agente de Pesquisa e Mapeamento, o evento simbolizou que a execução do Plano é coletiva, e decorrerá em ações que foram divulgadas por meio de um Comunicado, evento transmitido ao vivo para mais de 1200 pessoas no portal e no canal do Youtube do IBGE, além da plataforma Webex.

A mesa de divulgação foi composta por Marcio Pochmann, presidente do IBGE, Francisco Barcia, superintendente estadual de SP, Paulo Almeida, chefe da Agência Guarulhos, e teve moderação do coordenador-geral do Centro de Documentação e Disseminação de Informação (CDDI), Daniel Castro.

Na abertura, o presidente Marcio Pochmann agradeceu a presença de todos, e salientou a importância do eventoser realizado em uma agência, local em que os servidores estão na linha de frente das pesquisas do Instituto: “este Plano de Trabalho é o fruto de um intenso esforço entre todos os servidores que colaboraram para a publicação Diálogos para o Futuro, um conjunto de informações preciosas que nortearão as ações do IBGE neste ano”.

Flávia Vinhaes, diretora executiva do IBGE, falou na sequência sobre o ineditismo no novo planejamento do Instituto, e citou pontos e ações a serem implantados ao longo deste ano, como a melhoria na estrutura física das superintendências, para que os servidores possam ter conforto e boas condições de trabalho. “A Diretoria Executiva estará em diálogo permanente com todas as diretorias da casa ao longo deste ano”.

A diretora-adjunta da Diretoria de Geociências, Miriam Barbuda, relatou a manutenção da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo (RBMC) e da Rede Maregráfica Permanente da Geodésia em 2024, além da implantação do Programa de Produção Integrada de Dados Geoespaciais do IBGE, no intuito de fornecer à sociedade dados atualizados na construção de mapas do Brasil, acompanhamento da cobertura e uso da terra, entre outros temas.

Elizabeth Hypolito, diretora da Diretoria de Pesquisas (DPE), afirmou que o plano de 2024 da DPE traz projetos regulares das 12 coordenações e parcerias com outros ministérios e institutos, além de novos projetos como o teste de contagem da população de rua, fases preparatórias do Censo Agro, além das reformulações de pesquisas existentes.

Marcos Mazoni, diretor da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), declarou que o foco desta diretoria será a construção de uma nuvem própria embasada em software livre, investimentos em novas tecnologias e um projeto de metaverso para fornecer informações à sociedade e que também auxilie agências e superintendências com as demandas diárias.

O coordenador-geral da ENCE, Paulo Jannuzzi, citou para 2024 o aperfeiçoamento dos cursos de graduação e pós-graduação, além do desafio em implementar ações afirmativas via SISU para o ingresso nos cursos da Escola. Além disso, reafirmou a importância de fortalecer a área de capacitação, por meio das trilhas formativas embasadas em ciência de dados, Big Data e Inteligência Artificial.

Daniel Castro, coordenador-geral do CDDI, ressaltou a integração da área de comunicação, que segue a política do IBGE, destacando o IBGE Digital, ferramenta utilizada na própria transmissão do evento. “Este evento é um exemplo da nova integração do IBGE em que as áreas do órgão passam a utilizar ferramentas como a Agenda IBGE, o e-IBGE e o IBGE Digital, que são canais que estruturarão as demandas e a própria disseminação das pesquisas e publicações do órgão”, afirmou Castro.

Para finalizar, Pochmann ressaltou a importância dos diálogos horizontais, sem seguir a hierarquia da casa, no intuito de propor uma reflexão sobre o futuro, construindo as diretrizes que irão guiar o Instituto até 2026, nos 90 anos do IBGE. “Após essas conversas iniciais foi possível chegar nos diálogos setoriais com as diretorias e chefias, o que permitiu produzir o documento público Diálogos para o Futuro, o nosso guia para este ano. Na sequência, foram conduzidos os diálogos intersetoriais, para obter êxito na execução do Plano”, afirmou Pochmann. Ao final de sua fala, Pochmann fez a leitura de Comunicado com 10 novas ações orientadoras e estruturantes para o ano 2024.

A importância da agência na linha de frente do IBGE

A realização do lançamento do Plano de Trabalho em uma agência não foi por acaso: para o IBGE, a agência está na linha de frente de todos os trabalhos e pesquisas do Instituto.

Para Adilson Júnior, supervisor de coleta e qualidade da Agência Guarulhos, o trabalho na agência proporciona um conhecimento aprofundado das ações ibgeanas. “Trabalhar numa agência do IBGE é trabalhar na ponta do processo: estar em contato com os informantes, conhecer a fundo as pesquisas, como as empresas fornecem os dados, como funcionam os questionários. E o lançamento do Plano de Trabalho na minha agência permite que a Direção tenha esse contato mais próximo com a gente”.

Ivani Andrade, agente de mapeamento e pesquisa, que também atua nessa agência, frisou a importância de trazer o presidente para conhecer os servidores locais. “Achei bem legal a iniciativa de trazer quem está no topo (Presidência) para mais perto dos servidores; desse modo, aumenta a comunicação entre ambas as partes. Espero que esse diálogo continue ao longo de 2024”.

“Este lançamento do Plano de Trabalho tem uma importância imensa, não só pelo prestígio que ele dá para a Agência, mas também em demonstrar que toda a rede ibgeana tem sua relevância na execução dos trabalhos do IBGE. O resultado final de todo trabalho, das pesquisas, dependede esforços múltiplos de todos os níveis de responsabilidade da Instituição. Por isso, acredito que esse evento realizado numa agência valoriza muito o nosso trabalho”, afirmou Paulo Almeida, chefe da Agência Guarulhos.

Categorias: Novidades