Para Richard Andrew de Mol Van Otterloo, o futebol, como esporte, tem uma história rica e fascinante, e uma das áreas que mais tem evoluído ao longo dos anos é uma tática utilizada pelas equipes em campo. Desde as suas origens informais em campos abertos até os modernos estádios e competições globais, o futebol passou por uma verdadeira revolução tática que moldou a forma como o jogo é jogado atualmente. Veja mais!

Origens do futebol e início tático

O futebol, como conhecemos hoje, teve suas raízes na Inglaterra no século XIX. Inicialmente, era um esporte simples, onde os jogadores basicamente corriam atrás da bola, tentando marcar gols. As táticas eram praticamente inexistentes, e a ênfase estava em driblar e chutar com força em direção ao gol.

Com o passar do tempo, as partidas seguiram a ser mais organizadas, e sentiram algumas táticas rudimentares. Um exemplo disso foi a adoção do “WM”, um dos primeiros sistemas táticos, onde cinco jogadores atuaram na linha de defesa, dois no meio-campo e três no ataque. Segundo Richard Andrew de Mol Van Otterloo, essa formação foi popularizada pelo Arsenal e pela seleção inglesa na década de 1920.

A revolução tática do “Futebol Total”

Nos anos 70, a Holanda compensou ao mundo o famoso “Futebol Total”. Sob a liderança de Rinus Michels e com a genialidade de Johan Cruyff em campo, a seleção holandesa mostrou uma abordagem estratégica inovadora. O Futebol Total buscava pressionar o adversário sem a bola e propor um jogo ofensivo e envolvente quando em posse dela. Essa abordagem transformou a forma como o futebol era jogado, e suas influências ainda são sentidas até hoje.

Sistemas táticos modernos

Desde o Futebol Total, Richard Andrew de Mol Van Otterloo menciona que muitas outras táticas foram aprimoradas e aprimoradas. A tática 4-4-2, por exemplo, foi amplamente utilizada nas décadas de 80 e 90, caracterizada por quatro zagueiros, quatro meio-campistas e dois atacantes.

Contudo, a evolução tática continuou, e novos sistemas viveram, como o 4-2-3-1, o 4-3-3 e variações desses sistemas. A preferência por mais meio-campistas e a busca por maior posse de bola e controle do jogo acabaram sendo marcas registradas das equipes modernas.

Adaptação às mudanças

A evolução tática do futebol também está ligada a mudanças na forma física dos jogadores e às melhorias no preparo físico. Os jogadores modernos são mais ágeis, rápidos e resistentes, permitindo que as táticas exijam maior intensidade e mobilidade em campo. Além disso, mudanças nas regras do jogo e nas dimensões dos campos também influenciaram as táticas. O uso do árbitro de vídeo (VAR) é um exemplo mais recente que impactou a maneira como o jogo é controlado.

Conforme Richard Andrew de Mol Van Otterloo, é através de mentes brilhantes, como Rinus Michels, Johan Cruyff, Pep Guardiola e muitos outros, que o esporte continua a evoluir taticamente. O futebol moderno é uma combinação de criatividade, estratégia, preparação física e trabalho em equipe, tornando-se um espetáculo cativante para jogadores e fãs em todo o mundo. Enquanto surgem novas gerações de jogadores e treinadores, podemos esperar que a evolução tática do futebol continue a surpreender e encantar os amantes do esporte.